LabEducine/UNESPAR apresenta, em parceria com o Centro Juvenil de Artes Plásticas e Werner Produções o projeto “Meu Mundo, Minha Janela’’.

Todos os vídeos que integram a série foram produzidos pelos alunos do centro juvenil de artes plásticas sob a coordenação da professora Adriana Carla Dalazen Cichocki.

O  projeto “Meu Mundo, Minha Janela” coordenado pela professora Solange Stecz do Programa de Pós-graduação em Artes da Unespar/Campus Curitiba II/FAP é destinado a alunos de escolas da Rede Estadual e Municipal de Educação e de cursos livres de audiovisual. A iniciativa visa compartilhar cenas do cotidiano por meio de vídeos caseiros, feitos com o celular durante o distanciamento social, imposto pela pandemia do novo coronavírus. Os vídeos são retratados sob óticas de crianças e adolescentes que vivenciam desde o ano passado os efeitos de um mundo pandêmico. 

Todos os alunos foram convidados a compor suas narrativas que poderiam ser, por exemplo: entrevista com alguém de casa, ponto de vista da janela do quarto, momentos no quintal, durante refeições, tocando instrumento musical, ajudando nas tarefas da casa, estudando, realizando alguma atividade artística, participando de algum jogo ou brincadeira, vendo TV, escrevendo no diário ou o que mais a sua imaginação permitisse.

Após o recebimento dos vídeos, eles foram organizados e agrupados compondo uma narrativa coletiva, como um mosaico de percepções deste momento do isolamento.

 

LabEducine/UNESPAR apresenta, em parceria com o Centro Juvenil de Artes Plásticas e Werner Produções o projeto “Meu Mundo, Minha Janela’’.

Todos os vídeos que integram a série foram produzidos pelos alunos do centro juvenil de artes plásticas sob a coordenação da professora Adriana Carla Dalazen Cichocki.

O  projeto “Meu Mundo, Minha Janela” coordenado pela professora Solange Stecz do Programa de Pós-graduação em Artes da Unespar/Campus Curitiba II/FAP é destinado a alunos de escolas da Rede Estadual e Municipal de Educação e de cursos livres de audiovisual. A iniciativa visa compartilhar cenas do cotidiano por meio de vídeos caseiros, feitos com o celular durante o distanciamento social, imposto pela pandemia do novo coronavírus. Os vídeos são retratados sob óticas de crianças e adolescentes que vivenciam desde o ano passado os efeitos de um mundo pandêmico. 

Todos os alunos foram convidados a compor suas narrativas que poderiam ser, por exemplo: entrevista com alguém de casa, ponto de vista da janela do quarto, momentos no quintal, durante refeições, tocando instrumento musical, ajudando nas tarefas da casa, estudando, realizando alguma atividade artística, participando de algum jogo ou brincadeira, vendo TV, escrevendo no diário ou o que mais a sua imaginação permitisse.

Após o recebimento dos vídeos, eles foram organizados e agrupados compondo uma narrativa coletiva, como um mosaico de percepções deste momento do isolamento.