RICO RI À TOA – 08/05

(BR, 1958, comédia, 111’, livre) Direção: Roberto Farias

Elenco: Zé Trindade, Violeta Ferraz, Armando Camargo. Um motorista de táxi recebe alta quantia de um advogado, suposta herança de parentes distantes de Portugal. Só que as coisas não são tão simples quanto se pensava, porque, na verdade, tudo não passou de um golpe para encobrir um assalto a banco.

BELARMINO E GABRIELA – 05/06

(BR, 2003, documentário, 85’). Direção: Geraldo Pioli.

Documentário sobre a dupla de músicos paranaenses. O circo é o principal pano de fundo para as histórias da dupla, porque foi nesse espaço cênico que começou sua carreira. Salvador Graciano e Júlia Alves (Nhô Belarmino e Nhá Gabriela) são representados no filme por vários personagens e também pelos seus filhos Ivan e Rui, e pela neta Júlia. Participam ainda o grupo Viola Quebrada e o músico Marinho Galera.

O LAMPARINA – 03/07

(BR, 1964, comédia, 104’) Direção: Glauco Mirko Laurelli

Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Francisco Di Franco. Bernardino Jabá, sua esposa Marcolina e os filhos do casal são confundidos com cangaceiros do bando de Zé do Candieiro. Bernardino ajuda a polícia a identificar os verdadeiros bandidos, mas acaba se perdendo da família. Um ano se passa e ele, considerado morto por todos, acaba retornando para casa, onde é confundido com uma alma penada.

A MARVADA CARNE – 07/08

(BR, 1985, ficção, cor, 77’) Direção: André Klotzel.

Elenco: Adilson Barros, Fernanda Torres, Dionísio Azevedo, Genny Prado, Regina Casé, Lucélia Machiavelli, Paco Sanches, Henrique Lisboa, Chiquinho Brandão, Tio Celso, Tonico e Tinoco. Nhô Quim vive lá nos cafundós em companhia do cachorro e da cabra de estimação. Aquela vidinha besta no meio do mato não dá pé e ele resolve cair no mundo e procurar a solução para duas questões que o incomodam: arranjar uma boa moça para o casório e comer a tal carne de boi, um desejo que fica ruminando sem parar dentro dele. Nas suas andanças, Nhô Quim vai dar na casa de Nhô Totó, cuja filha está em conflito com Santo Antônio, que não anda colaborando para ela arranjar um bom marido. E logo Nhô Quim descobre que o pai da moça tem um boi reservado para a ocasião do casamento da filha. Será este o momento para Nhô Quim realizar seus dois maiores desejos? Classificação 12 anos.

SINHÁ MOÇA – 04/09

(BR, 1953, drama, 120’) Direção: Tom Payne

Elenco: Anselmo Duarte, Ruth De Souza, Eliane Lage. Na pequena cidade de Araruna, no fim do século passado, as contínuas fugas de escravos traziam os grandes senhores alarmados, em especial o coronel Ferreira. É nessa ocasião que sua filha Sinhá Moça regressa de São Paulo dominada pelos ideais abolicionistas. Em sua viagem de volta conhece Rodolfo Fontes, filho de um renomado médico de Araruna, abolicionista entusiasta. No primeiro instante os dois jovens sentem-se mutuamente atraídos, porém, logo ela descobre as tendências escravocratas de Rodolfo e trava-se em seu espírito a luta entre seu amor pelo jovem e suas convicções humanitárias. O responsável pela fuga de escravos é levado ao tribunal e, para surpresa de todos, o jovem Rodolfo, confesso escravocrata, serve-lhe de advogado de defesa.

VIDA DE MENINA – 02/10

(BR, 2005, ficção, 102’) Direção: Helena Solberg

Elenco: Ludmila Dayer, Daniela Escobar, Dalton Vigh, Camilo Bevilacqua, Lígia Cortes, Maria de Sá, Lolô Souza Pinto, Benjamin Abras, Luciano Luppi. Sob a perspectiva duma menina de 13 anos, o filme exibe um panorama intimista da vida cultural e familiar da cidade de Diamantina em seu período de decadência econômica nos fins do século XIX. Sentimental, mas sem concessões à pieguice, Vida de menina não é apenas um grande filme de época, repleto de cenas marcantes e bem realizadas, mas também o resgate de uma importante obra literária que encantou personalidades como Guimarães Rosa e Elizabeth Bishop.

IVÁN – 06/11

(BR, 2015, documentário, 109’) Direção: Guto Pasko

O retrato de Iván Bojko, um ucraniano sobrevivente da Segunda Guerra Mundial. Em 1942, Bojko foi retirado à força de seu país pelos nazistas, para que realizasse trabalhos forçados na Alemanha. Em 1948, ele conseguiu fugir para o Brasil. Desde então, não pôde mais encontrar seus familiares. 68 anos depois, Iván retorna à sua pátria.

A BARONESA TRANSVIADA -04/12

(BR, 1957, comédia, 100’) Direção: Watson Macedo

Elenco: Dercy Gonçalves, Grande Otelo, Renato Consorte. Gonçalina é uma pobre manicure que descobre pelos jornais que pode ser a filha desaparecida de uma baronesa. Ela vai à casa de sua possível mãe, onde é reconhecida. Quando a baronesa morre, Gonçalinha torna-se sua única herdeira e investe parte da fortuna num filme. Esta situação não agrada os demais integrantes da família, que planejam um golpe.

 

 

Os projetos do LabEducine  seguem as metas da Agenda  2030 da ONU – (Organização das Nações Unidas) para o desenvolvimento sustentável, em especial  os objetivos 4 e 5  que se referem à educação, igualdade de gênero e empoderamento de mulheres e meninas.